Interpretação Textual (Parte I)

Compartilhe!

Aula 01 – Por que estudar interpretação textual?
Antes de prosseguir pergunte a si mesmo: “por que tenho que estudar um tema tão subjetivo, por que estudar interpretação textual?”.
Antes de continuar meu caro, quero que você saiba que está diante do tema mais importante dentro do estudo da língua portuguesa, não quero ir muito longe, o que precisamos é objetividade, portanto devo dizer que se você não interpretar bem um enunciado, em vão serão seus estudos em qualquer área.
Além disso, o tema interpretação textual pode ser subjetivo, mas a compreensão não é. Logo, para compreender bem um texto é necessário que você saiba interpretá-lo.
Em concursos públicos como esse que você vai fazer, é possível que você tenha estudado bastante os temas do edital e domine todo o conteúdo. Mas se você não souber interpretar as questões é provável que você caia em muitas “pegadinhas” ou ainda, marque por correta a alternativa mais absurda da questão pelo simples fato de não ter conseguido interpretá-la.
Vejamos alguns exemplos da importância desse tema: Imagine que você tenha pedido para seu amigo ir ao supermercado comprar alguns itens que você está precisando, prontamente, ele se dispôs a ir com uma condição: você tinha que anotar esses itens em um papel e o entregar. Feito isso, o que você espera do seu amigo quando estiver comprando?
Isso mesmo, que ele saiba interpretar o que foi escrito, ou seja, tirar a conclusão fiel do que você quer que ele compre. Então, se seu amigo compreender a sua mensagem ele terá as respostas para estas perguntas: comprar o quê? Em que quantidade? Em que faixa de preço? Etc.
Todas essas informações podem ser bem compreendidas se estiverem no texto. Mas se de repente você esqueceu de fornecer uma informação importante sobre a quantidade, por exemplo, seu amigo terá dificuldade de trazer exatamente a quantidade que você tinha pensado. Não é mesmo?
Mas tudo bem, ele é seu amigo e sabe que você gosta de economizar. Portanto vai comprar uma quantidade aproximada ao que você tinha pedido. Então, podemos afirmar que seu amigo foi além do que estava escrito, mas não deixou de ser coerente, dessa forma ele interpretou bem a mensagem.
Você já consegue definir o que é interpretação textual? Se a sua definição se assemelha a esta você está no caminho certo:
“Interpretar é concluir, tirar suas próprias conclusões sobre um objeto pesquisado, ou seja, deduzir a partir dos dados coletados”.
Vejamos outro exemplo…
Você se inscreveu em um cursinho a distância para concursos. O tutor explicou-lhe por meio de um e-mail que você deve estar atento às videoaulas, mas principalmente ao material escrito que é muito importante e deve ser bem aproveitado, ou seja, em outras palavras o tutor está lhe dizendo que um curso Ead exige disciplina quanto a leitura do material.
Podemos afirmar que o tutor quer lhe incentivar a leitura do material? Ficou claro que sim. É isso que ele quer lhe passar. Ao chegar a essa conclusão você não está fazendo outra coisa senão compreendendo o que está escrito de forma muito clara, ao que podemos chamar de intenção do tutor, afirmação etc.
Agora, se você quiser explorar mais sobre a afirmação do tutor Ricardo, poderá concluir que ele não gosta de todas as mídias, mas unicamente do texto escrito. Porém, isso não está claro no texto. Trata-se de interpretação exclusivamente particular.
Dessa forma, você estaria tentando interpretar a intenção do autor, algo que está além do texto. Podemos também dizer que ele se preocupa com a leitura do material escrito, o que unirá a compreensão (o que está no texto) com nossa interpretação (aquilo que está fora do texto). Perceba que a interpretação parte da sua compreensão sobre o texto, mas não quer dizer que seja a mais correta!

Material de apoio
Esses exemplos são nosso ponto de partida para entrarmos no conteúdo propriamente dito. Ora, acredito que está sendo fácil até aqui. Portanto, devemos nos aprofundar mais. Antes de passarmos para próxima aula gostaria que você lesse os textos que disponibilizamos nos seus materiais para download. Visto que a leitura é o primeiro passo para a interpretação.

Qual a diferença entre interpretação e compreensão?
Você precisa ter em mente que todo texto tem uma intenção, o que podemos chamar de “razão de ser” do texto ou intenção comunicativa. O autor, nosso primeiro elemento redige com o intuito de nos dizer algo, ou seja, falar diretamente ao seu interlocutor. Esse último, ao ler o texto terá que entender a mensagem que o autor quer passar.
Então, observe que há duas formas de ler essa mensagem: a primeira ao pé da letra e a outra analisando as entrelinhas. Entenda por entrelinhas aquilo que ficou subentendido. Exemplo: “quando alguém lhe diz que é proibido para menores de 18 anos” o que fica subentendido? Muito bem, fica implícito que é permitido para adultos. Não é mesmo?
Portanto, existem duas formas corretas de interpretar uma mesma mensagem? Não é bem assim. Na verdade existe a interpretação mais fidedigna e a menos. No entanto, sua interpretação pode ser certa do seu ponto de vista, mas errada com base na intenção do autor, não é mesmo?

Vamos abrir um parêntese neste ponto para refletirmos um pouco. Observe a imagem abaixo e discuta na comunidade o que podemos concluir dela, são três ou quatro pedaços de madeira?
Portanto uma interpretação sobre algo diz respeito às conclusões que você tira sobre esse objeto, tendo em vista as pistas que o texto lhe dá.

Voltando a nossa discussão podemos dizer que existe a interpretação mais fidedigna, que é aquela que se aproxima mais da intenção comunicativa que o autor quer revelar e a interpretação com pouca ou sem nenhuma coerência. Quando seguimos pelo caminho mais coerente possível estamos compreendendo o texto.
Abraços e até a próxima aula!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba atualizações em seu e-mail

More To Explore

Orientador de TCC simples

Eu não sei em qual parte você está do seu TCC.   Por esse motivo, vou te mostrar um vídeo muito interessante sobre como escolher

Ferramentas

Técnica dos 5 Porquês

A simplicidade e eficácia desta ferramenta faz dela um ótimo recurso para diagnosticar e resolver problemas. A técnica dos Cinco Porquês é uma ferramenta desenvolvida pelo Eng. Químico Taiichi Ohno, notório

Gostaria de receber nosso E-book, gratuitamente?

Clique no botão abaixo